”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Cheiro doce (Moleque das frutas)

Olha, olha, o moleque das frutas!
Tem sapoti, tangerina e jenipapo,
Tem mamão, araçá e manga-rosa.
Mas hoje não tem caqui-estrela!.

Tem aí laranja da terra, garoto?
Tem não senhora: mas tem graviola!
Tem limão galego e banana-figo,
Tem lima da pérsia e manga-espada.

Hei menino, cadê as jabuticabas?
Tá no tempo não, dona: tem pitanga!
Hoje também tem fruta-do-conde,
Jambo graúdo, cajá-manga e goiaba.

Mas amanhã trago figo maduro, dona!
Trago também mexerica e carlotinha.
Amanhã você vem por aqui, fruteiro?
Venho sim, e trago amora madurinha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário