”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Distorções

Ah, Quanto se engana o homem,
Quando, tão egoísta, desconhece
As mais altas concepções contidas
No afeto, na gratidão, no perdão,
Na generosidade e na caridade.

Quando não aplica esses conceitos
Da maneira mais equivocada,
O homem, refém do seu egoísmo
Não irradia essas altas concepções
Ao mundo circundante, onde vive.

Torna-se assim uma ilha sombria,
Isolada, que retém, inúteis, em si,
Tudo aquilo, que por gratidão, teria
Que repercutir, não só aos homens,
Mas a todas as coisas da natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário