”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

domingo, 8 de novembro de 2015

Enlevo

Quando, de repente, perceberes
Tua alma incandescente,
Teus olhos cintilantes e vivos,
Teus lábios com um sorriso novo,
Sentirás um incontido desejo
De cantar, de dançar, de brilhar.
Então poderás sentir, extasiada,
Que estás plena, frágil e feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário