”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Incógnito

A trapezista, num salto mortal,
Errou o tempo e caiu.
Mas quem se feriu, coitado,
Foi o vendedor de flores,
Que há muito vivia, incógnito,
No coração da moça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário