”A tempera de uma alma é dimensionada na razão direta do teor de poesia que ela encerra” (Horácio Quiroga)

sábado, 23 de abril de 2016

A ti

Dou-te o que possuo,
Mas o que possuo é nada;
Nem capitais nem posses,
Apenas esses versos,
Para o teu sossego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário